O que Fazemos?

SOBRE O SISTEMA DE CONDOMÍNIO

A construção pelo sistema de condomínio fechado é feita a preço de custo, fiscalizada pelos condôminos a qualquer hora, em qualquer circunstância. A construtora elabora os projetos do empreendimento, faz o orçamento total da obra e as pessoas interessadas formalizam a sua adesão ao grupo de condôminos mediante ao pagamento de uma taxa.

Esse grupo será responsável pelo fornecimento do capital necessário para todos os custos gerados pelo empreendimento, até a sua conclusão e entrega formal, incluindo não apenas os custos de construção, mas também impostos, taxas, emolumentos, despesas legais, etc.

A modalidade está submetida à rígida disciplina da lei nº 4.591 de 16 de Dezembro de 1964, que dispôe sobre o condomínio em edificações e as incorporações imobiliárias.

ORÇAMENTO

O orçamento é um dos itens mais importantes na credibilidade de uma construtora que trabalha pelo sistema de condomínio fechado. Quando é muito baixo, pode funcionar como isca para atrair condôminos, mas as surpresas futuras são inevitáveis, tendo como consequência mais comum a inadimplência, já qe as pessoas acabam se deparando com um valor muito alé do orçado.

Quando o orçamento é feito dentro da realidade, pode até trazer surpresas positivas, como a devolução do que foi orçado e não foi efetivamente gasto.

Os condôminos só são responsáveis pelo pagamento das despesas do empreendimento efetivamente apuradas e devidamente comprovadas. Assim, se houver algum custo inferior àquele inicialmente estimado. O inverso também acontece, quando os custos, por qualquer razão, ultrapassam a estimativa inicial.

RESPONSABILIDADE DA CONSTRUTORA

Cabe à construtora a responsabilidade técnica total pela condução da obra e pela gerência de todas as atividades administrativas, que serão remuneradas pela cobrança de um percentual sobre os valores de custo previsto.

Esse percentual já está incluído no orçamento da obra e todas as despesas podem ser apreciadas, através de prestações de contas elaboradas mensalmente para acompanhamento dos condôminos, que elegem uma comissão representante para este fim.

A transparência de todo o processo ajuda a evitar desperdícios, tornando o custo do imóvel ainda mais atraente para o morador ou investidor face aos preços de mercado, que costumam ser de 20% a 30% mais altos, de acordo com a localização.